O perfeccionismo virou vilão?

Vivemos num mundo que cobra a perfeição a todo instante. O perfeccionismo tem sido valorizado, como comportamento esperado para se obter grandes resultados.

 

Não poste uma foto feia no Instagram, não ouse sair de casa sem ter arrumado o cabelo, sem estar com uma boa roupa. Seu filho tirou que nota na prova? Nove virou nota baixa. A perfeição aparece até nas entrevistas de emprego, quando perguntados sobre quais são seus pontos fracos e fortes, sempre aparece: perfeccionismo!

 

No ambiente profissional, competitivo, exigente e com foco em alta performance, é comum nos depararmos com pessoas que buscam cada vez mais a perfeição: não falhar, não cometer erros sob hipótese alguma e ainda mais – que vem e reveem cada tarefa realizada, buscando detalhes ínfimos a serem melhorados.

 

Precisamos ser perfeitos no trabalho, em casa, na sociedade, como pessoa, com a família.

E não apenas ser, é preciso mostrar que é.

E quando não se atinge esse alto patamar (fixado por quem, mesmo?) surge a frustração e a culpa!

 

 

Primeira reflexão, se você vive nesta pilha pela perfeição:

 

O que te motiva a agir assim? O que realmente busca? O resultado ou a aprovação de terceiros?

 

8 sinais de que a busca pela perfeição pode estar te atrapalhando:

 

  1. Você faz muito mais coisas para agradar aos outros do que porque realmente gostaria de ter feito.
  2. Você passa muito tempo fazendo tarefas repetitivas, como organizar ou conferir coisas.
  3. Constantemente você discute com as pessoas por elas terem feito algo diferente do que você esperava.
  4. Você procrastina e não finaliza algumas atividades, achando que falta algo ou que poderia estar melhor.
  5. Você é altamente crítico com o que faz.
  6. Você leva tudo para o lado pessoal – mesmo quando o erro foi cometido por outra pessoa, você se cobra!
  7. Você fica na defensiva quando é criticado.
  8. Você nunca acha que cumpriu o seu objetivo plenamente, sempre falta algo.

 

 

Para você não se sentir só, busquei na internet informação sobre alguns famosos perfeccionistas:

  • Glória Pires, atriz
  • Alessandra Negrini, atriz
  • Paula Fernandes, cantora
  • Cameron Diaz, atriz
  • Luciano Huck, apresentador e empresário
  • Beyoncé, cantora
  • Gustavo Kuerten, tenista
  • Lilian …rs

 

Os perfeccionistas, por serem muito detalhistas, determinados e não descansarem enquanto tem trabalho pela frente, não por acaso acabam conquistando sucesso em suas carreiras. O grande problema é o preço que pagam por esse crescimento, que vem com muito trabalho árduo e autocobrança exacerbada.

 

Eu, perfeccionista que sempre fui e que a algum tempo resolvi aliviar e ter uma vida e carreira mais leve, vejo que esta busca pela perfeição é uma maluquice que tem deixado muita gente sobrecarregada e com sequelas físicas, mentais e emocionais. Nos sobrecarregamos, vamos até o limite e nunca conseguimos baixar a régua.

 

 

Na minha visão, a definição de prioridades, a melhoria contínua e o desenvolvimento constante, são fundamentais e substituem a síndrome da perfeição.

 

 

– O que é prioridade na sua vida, no seu trabalho?

Se é pra se esforçar em algo, que seja no que realmente te dê resultados.

 

– O que você faz hoje que pode fazer de outro jeito, com melhores resultados e com redução de tempo ou outros recursos?

Isso é melhoria contínua, é se provocar a fazer o que precisa ser feito, mas analisar onde pode melhorar.

 

– Quais são as suas potencialidades e como pode usá-las com o melhor proveito possível?

Insistir em ser bom no que somos ruins ou medianos dá muito mais trabalho, leva muito mais tempo e causa mais desgaste do que se especializar no que você faz bem. Invista em você. Desenvolva novos comportamentos, conheça novas tecnologias e processos.

 

Na vida real, fora dos livros de autoajuda, existem muitos erros.

Errar é humano, já dizia algum filósofo, e errar faz parte do processo de aprendizado. Isso se, quem errou, tiver resiliência – esta sim, junto com a capacidade de aprender constantemente, é uma competência que eleva a pessoa a novos e altos patamares.

 

 

Mudar, se adaptar, corrigir a rota, faz parte da vida, da carreira, do negócio de todos nós. Não tem planejamento bem feito que seja executado com perfeição.

 

Algo sempre sairá diferente, e assim, imperfeito quando comparado ao esperado.

 

A cobrança pela perfeição gera sentimentos autocríticos, de inferioridade, de incapacidade. Mina a autoestima e com ela o poder de superação e a coragem pra retomar o rumo.

 

Se você quiser ler mais sobre este tema, indico o livro A coragem de ser imperfeito, de Brene Brown. Leia aqui a resenha.

 

Hoje vejo que é melhor ser imperfeita, e manter sempre a coragem de seguir em frente e dar o meu melhor.

 

Hoje melhor do que ontem, amanhã, muito melhor do que hoje.

 

 

COACHING ou MENTORIA, qual a melhor opção pra ajudar você a se desenvolver e acelerar sua carreira? Leia este artigo.

 

 

Já conhece o programa personalizado de Mentoria de Carreira, Check-Up Profissional? 3 meses de acompanhamento direto comigo, para você ajustar sua carreira, melhorar os resultados e comportamentos e equilibrar vida e profissão.

 

   Clique aqui para saber mais   

 

Continue conectado...

Compartilhe!